terça-feira, 18 de julho de 2006

Ah, o jazz.

Tem dias que só mesmo a Sarah pra estar do meu lado.

Alguém tem que fazer a estatística pra confirmar a minha impressão: as letras de jazz usam tanto o would quanto eu escuto? é would pra cá, would pra cá... it would be nice, it would be good, if i'd, if you'd.

Tem para nós, falantes do português, aquele gostinho do futuro do pretérito, este tempo tão ausente das nossas falas e tão presente nos nossos atos cotidianos: amaria, ficaria, faria, seria...

Ah, este gostinho amargo do futuro do pretérito.

2 comentários:

Robson disse...

Jazz é muito gostoso de ouvir, como o blues. Sem improvisação fica ruim, pois repetitivo.

Na hora de tocar, nada de woulds. Woulds são tristes, lembrei mais de blues.

Vitor disse...

Oba, você voltou a escrever! :-)